Secretaria de Ação Social realiza abordagens a moradores de rua

15/03/2018 12:59

Nesta quarta-feira (14), a Secretaria Municipal de Ação Social realizou uma ação conjunta com a Polícia Militar, fiscais da Secretaria de Obras e Autopista Litoral Sul, para abordar moradores de rua que têm se instalado nas dependências da ponte de Tijucas. Com as parcerias, a intenção da Secretaria era conseguir abordagens mais efetivas.

A ação teve início no lado norte da ponte, sob a BR-101, na entrada da cidade. O local servia de moradia para duas mulheres, mãe e filha, já abordadas pela Ação Social diversas vezes. Apesar de terem familiares com residência fixa na cidade, elas se recusam a morar com os parentes e também não concordam com possíveis encaminhamentos para tratamento. A Secretaria de Ação Social vai verificar as possibilidades de a mulher, de 60 anos, receber aposentadoria ou o Benefício da Prestação Continuada (BPC), benefício assistencial para idosos e pessoas com deficiência, que pode proporcionar uma alternativa à vida nas ruas.

Havia indícios de que outros moradores também estavam ocupando o local. Colchões, objetos e uma quantidade grande de lixo foram recolhidos pela equipe de limpeza da Autopista.

O segundo ponto da ação, também sob a ponte, foi no acesso ao bairro Sul do Rio. Dois homens e duas mulheres foram encontrados. Um dos homens estava de passagem e o outro tem residência no bairro Areias, para onde se dirigiu. Uma das mulheres, de 20 anos, foi levada à Ação Social para receber atendimento e ser encaminhada a Bombinhas, onde mora a família. Esta não é a primeira vez que ela é atendida pelo serviço de assistência social e levada para casa.

A outra mulher não aceitou as propostas de encaminhamento à internação, alegando que havia combinado que um pastor viria buscá-la e interná-la, ontem mesmo, às 18h. As equipes da Autopista também retiraram uma quantidade considerável de entulho do local.

 

 

 

 

 

 

Casa abandonada no Centro da cidade está sendo usada por usuários de drogas

Aproveitando a oportunidade, as equipes fizeram vistoria também em uma casa no Centro da cidade que, após apresentar problemas estruturais, foi abandonada pelos proprietários e tem servido como ponto de uso de drogas. O departamento de fiscalização da Secretaria de Obras já fez autuações aos proprietários, que não atendem às notificações para resolver o problema.

No momento da visita, ninguém foi encontrado. Os vizinhos, porém, relatam que a movimentação no local é grande. A PM informou que faz rondas constantes na região.

No momento da vistoria, um senhor de aproximadamente 60 anos, natural do oeste do estado, se aproximou e solicitou ajuda. Ele contou à equipe que sofre de dependência alcoólica e que havia passado mal momentos antes. O homem foi encaminhado à secretaria, onde recebeu atendimento e encaminhamento para realização de exames para a internação. A secretaria informou, hoje pela manhã, que, infelizmente, o senhor não compareceu para realizar os exames.

“As abordagens não servem para expulsar as pessoas que estão morando em determinado lugar. A intenção é de retirá-los dessa condição e encaminhar para as famílias ou para tratamento, em caso de dependência química”, afirma a Secretária de Ação Social, Bianca Bibiani Machado. A dependência, claro, é uma das principais causas que levam às pessoas às ruas e a recusa às ofertas de tratamento dificulta muito o trabalho.

De acordo com a secretária, este trabalho integrado com a polícia e a fiscalização de obras passará a ser feito com maior frequência, para tentar diminuir a incidência de moradores de rua na cidade e proporcionar oportunidades de recuperação a eles.

Texto: Thiago Furtado (Estagiário da Diretoria de Comunicação) | Fotos: Larissa Souza.