Secretaria Municipal de Educação implanta projeto do Instituto Ayrton Senna

05/09/2017 7:47

Desde abril deste ano, Tijucas tem uma turma de alfabetização para alunos com distorção idade-série através do programa Se Liga, do Instituto Ayrton Senna. Os casos de crianças que estão com defasagem no aprendizado são identificados dentro das escolas e agrupados em uma turma que trabalha de acordo com a metodologia do programa.

A primeira turma implantada em Tijucas funciona na Escola de Ensino Fundamental Deputado Walter Vicente Gomes. As aulas são ministradas pela professora alfabetizadora Andreia Borges da Silva, sob responsabilidade da coordenadora de projetos educacionais Dail Nelsy da Silva. As duas educadoras participaram de formação do Instituto Ayrton Senna para possibilitar a implantação do projeto na cidade.

A turma do Se Liga em Tijucas é formada por dezesseis alunos, com diferentes idades que, na sua maioria, não sabiam ler e escrever quando começaram as aulas, em abril. No máximo, copiavam algumas palavras do quadro. Hoje, mostram os cadernos com palavras e frases desenhadas com capricho.
A dedicação da professora Andreia tem grande parcela na evolução dos alunos. Ela precisa ir além das questões teóricas de sala de aula, porque a dificuldade dos alunos passa pela condição de vulnerabilidade social em que vivem. Para conseguir que eles evoluam, “o professor precisa estabelecer fortes vínculos com os alunos”, explica a coordenadora Dail.

“Não podemos desistir, a gente precisa bater na mesma tecla diariamente”, afirma Andreia. Além dos conteúdos, ela desenvolve um trabalho constante de estimulação, de reforço da autoestima dos alunos. “É uma questão de valorização deles, um trabalho socioemocional”, reforça a professora.

De acordo com as educadoras, o método do Instituto Ayrton Senna é muito produtivo e facilita a tarefa complexa que enfrentam. Além de fornecer material didático específico, que contribui para o aprendizado, o órgão é bastante rígido no acompanhamento das atividades. Monitoram a frequência, exigem relatórios de atividades e resultados e, logo que percebem faltas ou qualquer outro problema, pedem explicações à Secretaria Municipal de Educação.

A dedicação à turma já tem dado resultados. Além da evolução no aprendizado dos meninos, que mal liam e agora já se dispõem a ler frases de seus cadernos em voz alta, há um maior envolvimento das famílias. “Na primeira reunião de pais que fizemos, no começo do projeto, não veio nenhum. Na última entrega de boletim, estavam todos”, comemoram Andreia e Dail.

No próximo ano, os alunos desta turma do Se Liga devem passar para a próxima fase do projeto do Instituto Ayrton Senna, o Acelera Brasil, para crianças já alfabetizadas mas com atraso de série. Com os bons resultados observados, a Secretaria Municipal de Educação já pensa em expandir a atuação do Se Liga. “A ideia é fazer uma avaliação no fim do ano e implantar essas turmas em outras escolas também”, conclui a coordenadora Dail.

PNAIC

A fim de evitar os problemas que acarretam as distorções idade-série, a Secretaria Municipal de Educação promoveu na semana passada uma formação para os professores da rede municipal de ensino. O conteúdo da formação é parte do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), programa do Ministério da Educação (MEC) ao qual o município aderiu.

Texto: Thiago Furtado (Estagiário da Diretoria de Comunicação) | Fotos: Larissa Souza